Font Size
   

Maria Barnas

Jardim Perdido
Cristiana Tejo

Os parques e jardins projetados pelo paisagista brasileiro Roberto Burle Marx (1909-1994) são lugares para pensar e onde os pensamentos têm seus lugares, tanto do ponto analítico quanto do intuitivo. Acima de tudo, talvez, eles são lugares vivos: assim como pensamentos, as plantas no jardim buscam novas formas, já que o futuro nunca é certo.

Em 1935, Burle Marx criou seus primeiros jardins no Recife, incluindo a Praça Euclides da Cunha. Com o passar dos anos, o jardim foi abandonado e ficou descuidado. Os sem-teto que viviam lá jogavam caroços de manga que acabaram transformando-se em imensas árvores. Mais tarde, a prefeitura plantou arbustos e em pouco tempo não havia restado nada do conceito original de Burle Marx.

Nenhum desenho original do jardim podia ser encontrado. A restauração do jardim, ocorrida em 2004, não foi baseada nas plantas originais de Burle Marx, mas nas memórias das pessoas de como era o jardim no passado.

Marieke Barnas investigou esta estória durante sua residência artistica no projeto Made in Mirrors no Recife, em 2009, e a partir desta experiencia Barnas criou fotografias e vídeos curtos. Desta forma, ela busca mostrar que um lugar não é apenas um espaço físico, mas também uma metáfora da necessidade de preservar a memória e, principalmente, distorcê-la.'Por esta razão, estou interessada sobretudo na ficção que ocorre quando alguém tenta dar forma à história', Barnas explica.

A segunda parte do filme consiste no material documental conseguido no Recife. Barnas entrevistou várias pessoas sobre o parque. Além disso, um papel é dado a uma mulher que conhecia o parque em seu jeito original. Sua voz coloca em palavras as impressões de Barnas em forma de poema.

Este trabalho foi mostrado pela primeira vez no Schunck*, em Heerlen, Holanda, em cooperação com a Fundação Made in Mirrors.

O Projeto Made in Mirrors é uma iniciativa de cooperação internacional de longo-termo dedicada a encorajar e possibilitar intercâmbios em pequena escala de agentes criativos (incluindo artistas, escritores, músicos, arquitetos, filósofos) e idéias que resulta em espelhamentos de distintas realidades. Participam do projeto os curadores Stijn Huijts (Schunck* Museum, em Heerlen, Holanda), Cristiana Tejo (Fundação Joaquim Nabuco, Recife, Brazil), Hu Fang (Vitamin Creative Space, Guangzhou, China) e William Wells (Townhouse Gallery, Cairo, Egito).

SERVIÇO
The Lost Park
Maria Barnas
Exposição: 02/07/2011 a 28/08/2011
MAMAM no Pátio
Pátio de São Pedro, Casa nº 17
São José - Recife - PE - Brasil
CEP 50020-020
Entrada Gratuita

INFORMAÇÕES
+55 81 3355.6764 l 3355.6765
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Assinar Newsletter

Nome
E-mail*

Redes Sociais

facebook_icon   wordpress_logo   twitter_icon   youtube_icon  Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhaes